Diversidade é uma piada e o Oscar é a prova disso

 

Estie Kung, 8, filha de mãe branca e pai asiático-americano, tornou-se uma celebridade mirim no programa “Man vs. Child: Chef Showdown”, em que chefes adultos e chefes crianças se desafiam na cozinha. Com o sucesso internacional do programa, Estie saiu em turnê em Hong Kong, em Singapura, nas Filipinas e na Malásia, concedeu mais de 50 entrevistas e encontrou seu rosto estampando grandes anúncios nas laterais dos ônibus.

No último dia 28, Estie foi uma das três crianças de origem asiática a servirem de escárnio na apresentação do grande piadista Chris Rock. “Como sempre, os resultados da premiação desta noite foram tabulados pela empresa de contabilidade PricewaterhouseCoopers. Eles nos enviaram seus mais dedicados, precisos e aplicados representantes: Ming Zhu, Bao Ling e David Moskowitz“, chamando as crianças ao palco. Se alguém se ofendeu com esta piada, basta tuitar sobre isso em seu telefone, que também foi feito por estas crianças, conclui. Na majestosa farsa que é a mídia branca se esbaforindo por diversidade, à promissora Estie sobrou um único papel: o estereótipo. E como única representação possível no imaginário branco, mais uma vez, asiáticos são não mais que mão de obra a ser explorada. Tudo isso em uma hilariante piada sobre trabalho infantil. Continuar lendo