Tomoya Hosoda tornou-se o primeiro homem trans a se tornar titular de um mandato em cargo político

07

Pela primeira vez na história um homem trans foi eleito a um cargo político.

No dia 17 de Março de 2017, Tomoya Hosoda (細田 智也) conseguiu ser eleito como um dos 22 membros do conselho do município de Iruma, província de Osaka. Formado em medicina pela Universidade Teikyo, ele saiu do armário quando ainda era estudante e logo iniciou a sua transição. No ano de 2015 ele conseguiu ter o seu nome e gênero oficialmente alterados.

“Até recentemente, as pessoas tem ignorado a existência de pessoas LGBT” afirma Tomoya “Nós temos muitos obstáculos a serem superados, mas eu espero conseguir estar à altura das expectativas”

11

Em um perfil criado para o site Out in Japan, Tomoya conta como foi a sua experiência de sair do armário e vivência como homem trans.

Eu pensava que nunca conseguiria ser feliz.

Porém, quando eu vi o sorriso de um homem trans que havia acabado de conhecer pensei “Homens trans conseguem viver com um sorriso assim, tão alegre”. Eu me lembro até hoje que foi ao receber a esperança e coragem daquele sorriso que decide sair do armário.

Para mim, sair do armário foi um ato de auto-aceitação e o momento que me coloquei na linha de partida para uma vida incrível.

Ao me colocar nessa linha de partida, percebo que somente eu e mais ninguém poderá construir o caminho que irei seguir. Existirão obstáculos que não conseguirei superar. Mas nesses momentos, estenderei a minha mão e tenho certeza de que existirão pessoas que irão me ajudar.

Com o apoio dos meus pais, amigos, colegas, professores entre outros é que eu existo agora. Houveram tempos incontáveis de sofrimento, dor e derrota. Mas, mesmo perdido eu dei um passo de cada vez, fui encontrando várias pessoas que mudaram o meu jeito de pensar, e ampliaram o meu modo de ver o mundo. Nesse presente, eu posso falar de peito aberto que sou feliz.

“Aproveitando a oportunidade de apresentar pessoas LGBT para a sociedade, eu quero oferecer a esperança e coragem para pessoas que estejam sofrendo, e assim, iniciarem sua jornada”

Foi com esse pensamento que resolvi participar desse Out in Japan.

Pode ser apenas uma minúscula força, mas desejo que possa se tornar o grito de uma próxima pessoa.

Acredito que um japão aonde um ambiente onde as pessoas entendam as questões LGBT e se torne um lugar onde todos possam sorrir do fundo dos seus corações

Aos poucos pessoas trans conquistam seu espaço na sociedade

Tomoya conseguiu entrar para a história como o primeiro homen-trans a se tornar titular de um mandato em cargo político. Porém, a primeira pessoa-trans do mundo a conseguir um cargo político foi Georgina Beyer, eleita como membro do parlamento da Nova Zelândia no ano de 1995.

Shabnam Mousi Bano, foi a primeira pessoa trans a conseguir um cargo político na Ásia. Ela foi eleita em 1998 e tornou-se a primeira hijra* a se tornar membro da Assembléia Legislativa de Madhya Pradesh.

A primeira pessoa trans a conseguir um cargo político no Japão foi Aya Kamikawa. Eleita em 2003 como membro do conselho municipal de Setagaya.

Untitled

Da direita para a esquerda: Georgina Beyer, Shabnam Mousi Bano e Aya Kamikawa

Na Ásia, contando com Shabnam Mousi, Aya Kamikawa e Tomoya Hosoda, oito pessoas já conseguiram superar a transfobia existentes na sociedade e se elegerem para cargos políticos.

No ano de 2001 as Filipinas elegeram a primeira mulher trans para um cargo político. Ruvic Rea foi eleita como capitã Barangay de Angeles IV, Tayabas, na província de Quezon. Capitão Barangay, ou Punong Barangay, é o cargo mais alto nas Barangay, menor divisão administrativa das Filipinas, algo entre vilas e municípios.

Em 2013 as Filipinas novamente elegem novamente uma mulher trans. Florencio “Fawa” Abobo Batula conseguiu se tornar a prefeita da municipalidade de Palapag e também um membro do conselho do 2º Distrito da província de Samar do Norte.

Em 2015 a Índia volta a eleger uma mulher trans. Madhu Bai Kinnar concorreu como candidata independente e conseguiu se eleger a o cargo de prefeita da cidade de Raigarh, Chhattisgarh.

Untitled

Da esquerda para a direita: Ruvic Rea, Florencio “Fawa” Abobo Batula e Madhu Bai Kinnar

Em 2016 as Filipinas elegem a terceira mulher trans para um cargo político. Geraldine Ronan, conseguiu ser a primeira mulher-trans a conseguir uma cadeira no Congresso filipino como representante do 1º distrito de Bataan.

No mesmo ano Audrey Tang foi eleita em Taiwan, tornando-se a primeira mulher trans a conseguir o cargo de ministra no Executivo de Yuan.

Untitled

Geraldine Ronan à esquerda e Audrey Tang à direita

Essa representatividade ainda é pequena e a ainda falta muito para que possamos acabar com a transfobia existente na sociedade.

Mas, com o empenho e vitória de todas essas pessoas trans podemos acreditar que mudanças estão acontecendo e um futuro melhor para todas as pessoas trans está chegando.

*Obs: Existe uma grande discussão na Índia diferenciando pessoas trans de hijras. Para esse artigo utilizamos a ideia mais ampla de trans como sendo qualquer pessoa que não se encaixa em uma cis-normatividade binária, por isso Shabnam Mousi Bano foi incluída. De maneira alguma queremos afirmar que hijras são mulheres trans.

——————

Links relacionados

Perfil de Yomoya Hosoda para a Out in Japan (Em japonês)

Que minha pequena voz alcance a sociedade: Uma mensagem de Aya Kamikawa

Representação trans e a grande estréia de Ian Alexander em OA

20% dos trabalhadores japoneses já presenciaram assédio contra LGBTs no ambiente de trabalho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s